Gestão

Saúde financeira: entenda os cuidados que você precisa tomar para não comprometer o equilíbrio financeiro do seu negócio

Saúde financeira empresarial
Escrito por Eficiência Fiscal

Administrar um negócio com certeza não é uma tarefa fácil. Mais que sobreviver no mercado, é preciso viabilizar a operação de forma sustentável e assim tornar a saúde financeira da empresa uma prioridade.

Todavia, o empresário precisa lidar diariamente com diversas situações que podem dificultar a gestão do empreendimento e, como consequência, causar graves problemas financeiros. 

Assim, o nosso objetivo ao criar esse artigo é levá-lo a refletir:

Você consegue avaliar como está a saúde financeira da sua empresa? Sabe quais ações beneficiam ou podem colocar em risco o equilíbrio nas contas do seu negócio?

Acompanhe a leitura do artigo até o final e entenda quais ações você pode tomar hoje para resguardar a saúde financeira do seu negócio, aumentando as chances de torná-lo próspero no segmento em que atua.

Conceito de saúde financeira

O termo “saúde financeira” pode ter diversas definições, a depender do contexto em que é empregado. 

Na conjuntura empresarial a saúde financeira representa a capacidade que o empreendimento tem de gerar caixa, honrar com os seus compromissos financeiros, de curto e longo prazo, e dar lucro.

Dessa forma, um dos primeiros indícios de um negócio saudável financeiramente é o equilíbrio entre as compras.

Falaremos mais sobre os indicadores financeiros no tópico seguinte. Todavia, é importante deixar claro que a lucratividade de um empreendimento diz muito sobre a capacidade que ele tem de continuar operando. 

Consequentemente, isso vai influenciar uma série de outras situações, como por exemplo: 

  • Receber investimentos de terceiros;
  • Expansão da operação e abertura de novas unidades;
  • Possibilidade de obter linhas de crédito em instituições financeiras;

Indicadores financeiros que merecem a sua atenção

A nossa intenção aqui não é nos aprofundar em pontos específicos e técnicos de gestão financeira, apenas dar um direcionamento inicial para que o tema fique mais claro e palatável para você.

Dito isso, entenda que avaliar a situação financeira de um negócio requer a atenção do gestor sobre alguns indicadores financeiros importantes.

A partir desse ponto é possível ter uma visão mais ampla do negócio e, assim, chegar a um diagnóstico mais preciso sobre a saúde financeira da empresa.

Veja a seguir.

Faturamento

Você consegue mensurar o volume financeiro que a sua empresa movimenta dentro de um determinado período?

Considerando os negócios em andamento, como está o percentual de fechamentos em relação às metas de vendas pré-estabelecidas?

Via de regra, se o volume de vendas está abaixo do que foi projetado é necessário colocar em ação outras estratégias para contornar a situação e garantir a fluidez econômica do negócio.

Além disso, esse indicador auxilia a estimar o volume de dinheiro que entrará, efetivamente, no caixa da empresa. 

Portanto, é um dado importantíssimo para avaliar a saúde financeira do negócio. 

Recebimento

Embora o indicador de faturamento dê uma estimativa de quanto dinheiro a empresa tem para receber, ele não afere quanto realmente ela já possui em caixa.

Por isso, também é importante acompanhar os indicadores de recebimento, extremamente relevantes para a análise da saúde financeira empresarial. 

Através da análise desses dados é possível verificar se há necessidade de rever as políticas de vendas e parcelamento e se existem deficiências na estrutura de vendas que tem ocasionado demora excessiva no recebimento dos produtos e/ou serviços comercializados. 

Endividamento

Outro aspecto para ficar de olho é o índice de endividamento da empresa. É comum que os empreendimentos recorram a empréstimos bancários para financiar a operação e manter o negócio funcionando.

Entretanto, é preciso ter muito cuidado ao optar por empréstimos de forma que não comprometa a liquidez da empresa. 

Esses recursos precisam ser investidos com o objetivo de gerar mais receita para a empresa.

Dessa forma, ao contrair novo empréstimo leve em consideração o impacto disso sobre a saúde financeira da empresa. Se, de fato, essa ação vai contribuir para o crescimento do empreendimento ou apenas deixar a empresa ainda mais endividada.

Outros indicadores financeiros importantes

Se você quer analisar mais profundamente a situação financeira do seu negócio, recorra a outros indicadores financeiros específicos, como por exemplo:

Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

Ou seja, levando em conta o volume de faturamento, quanto custa para o seu negócio adquirir e manter cada cliente.

Ticket médio

O ticket médio representa o valor médio de faturamento por venda realizada. 

Em síntese, esse indicador evidencia o desempenho das vendas paralelo ao retorno financeiro que as operações trouxeram para a empresa. 

A partir disso, o gestor tem condições de identificar se a lucratividade corresponde ao que foi projetado ou se é necessário ajustar alguma estratégia.

O ticket médio pode ser encontrado dividindo a receita mensal pelo número de vendas realizadas nesse período.

Custos fixos e variáveis

Um cuidado importante no orçamento da empresa refere-se aos custos para financiar a operação, quer sejam fixos ou variáveis. 

Além disso, é preciso sempre considerar a possibilidade de que ocorram imprevistos e gastos não programados. 

Dessa forma, o controle sobre os custos vai ajudar a identificar áreas que estão consumindo muitos recursos, de modo que o gestor consiga articular ações para diminuir custos e otimizar ao máximo os recursos.

Margem operacional

Esse indicador determina a rentabilidade das operações financeiras realizadas dentro de um determinado período.

Em outras palavras, ela representa o percentual das vendas (Receita líquida) que se convertem, efetivamente, em lucro operacional. 

É um indicador simples de ser calculado (Margem Operacional = Lucro Operacional / Receita líquida) e interpretado mas que diz muito sobre a capacidade do negócio gerar bons resultados.

Liquidez corrente

Evidencia a capacidade do negócio cumprir com suas obrigações de curto prazo.

O cálculo desse indicador é feito a partir da divisão da soma dos direitos a curto prazo da empresa, ou seja, os recursos que ela já tem em caixa, no banco, estoques e valores a receber, pela soma das dívidas de curto prazo, tais como empréstimos, financiamentos, impostos e fornecedores a pagar.

Satisfação do cliente

Você sabe como anda a satisfação do seu cliente para com os produtos e serviços prestados pelo seu negócio?

Apesar de não ser um indicador tão técnico quanto os anteriores, ele é fundamental para entender o comportamento financeiro do seu empreendimento.

A satisfação do cliente influencia não só no volume de vendas, como também explica a queda ou crescimento da receita. 

Por isso, não permita que esse indicador passe batido aí na sua empresa, afinal ele é extremamente importante para orientar ajustes no presente e impulsionar estratégias futuras.

De modo geral, é fundamental que o gestor esteja familiarizado com esses indicadores, compreenda o significado e os impactos efetivos de cada um sobre os resultados do empreendimento. 

Considerando a função estratégica que ocupa na empresa, sem dúvidas, estar munido de informações e dados relevantes contribuirá para tomar decisões mais assertivas. 

Erros que comprometem a saúde financeira da empresa

Nós já falamos no tópico anterior os principais indicadores financeiros para ficar de olho.

Em termos práticos, listamos abaixo quatro erros que podem comprometer a saúde financeira da sua empresa e, portanto, devem ser evitados a todo custo. 

Não fazer um planejamento tributário

Um dos maiores problemas em não fazer um planejamento tributário é que as empresas ficam sujeitas a serem tributadas por um regime tributário inadequado para a sua realidade. 

Com isso, há um grande risco de que paguem impostos indevidos, colocando em risco a saúde financeira do negócio.

Fluxo de caixa descontrolado

Introduzimos esse ponto, de certa forma, quando apresentamos os indicadores financeiros de faturamento e recebimento, sem entrar nas compras da empresa. 

Todavia, vale ressaltar: controle as entradas e saídas da sua empresa.

Gastar mais do que se tem é um dos erros financeiros clássicos que existem, tanto para negócios quanto para pessoas físicas. 

Por isso, redobre a atenção e monitore de forma sistemática o equilíbrio entre suas compras e vendas, prestando atenção no volume de faturamento registrado e o que de fato consta no caixa da empresa.

Descuido durante a formação de preço

Esse é um ponto muito importante e requer muita atenção do empresário.

Formar o preço de um produto exige uma análise minuciosa de todos os custos e despesas envolvidas na operação com a mercadoria. Além disso, o valor precisa estar em harmonia com a média de preço praticada no mercado.

Então, se o seu preço de venda está muito fora da realidade do segmento econômico em que atua, tanto para mais como para menos, é um sinal de alerta.

Não se preocupar com o compliance

Compliance significa conformidade, ou seja, estar em conformidade com alguma coisa.

No contexto empresarial, as organizações que não se preocupam em cumprir com as normas fiscais e tributárias aplicadas ao seu segmento e regime tributário correm o risco de estarem em desconformidade com o Fisco.

Os efeitos reais disso se manifestam em multas e outras sanções punitivas que afetam direta ou indiretamente a saúde financeira da empresa e a imagem da marca no mercado.

Agora que você descobriu como preservar a saúde financeira do seu negócio, que tal se aprofundar no assunto e entender um pouco mais sobre o que é gestão tributária? 

Sobre o autor

Eficiência Fiscal

Através de uma substancial base de regras fiscais, experiência de mais de 20 anos na área e uma tecnologia em inteligência artificial, nós buscamos resolver o problema da falta de conhecimento qualificado para lidar com toda essa complexidade da nossa legislação tributária, que muitas vezes é potencializada pelo elevado volume de itens em transações com incidências tributárias, seja em operações de compra ou de venda. O Eficiência Fiscal promove a organização, segurança jurídica e economia fiscal das mais de 1.700 empresas que confiam neste trabalho. Fazem parte desse grupo, empresas de contabilidade, empresas varejistas, atacadistas e indústrias, com contabilidade interna ou externa, sejam elas do regime tributário federal Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real.

Deixar comentário.